Porque que a KIMPOVI é uma law ou legaltech.

Em um momento que a humanidade vive a chamada 4ª Revolução Industrial, em que as tecnologias de informação dominam o mercado fazendo que todos os sectores sigam a mesma “bala” (como diz a gíria) ou seja o mesmo caminho da inovação tecnológica.

Palavras como Inteligência artificial, automatização e machine learning (ML), que antes eram exclusivos à tecnologia estão cada vez mais comuns no dia-a-dia das carreiras tradicionais e dentre elas uma das mais tradicionais o Direito.

Novas empresas, conhecidas como lawtechs ou legaltechs, estão a revolucionar todos os dominados como clássicos escritórios de advocacia. De igual forma os Órgãos do Poder Judicial começam a abraçar igualmente ferramentas tecnológicas.

A título de exemplo na nossa realidade temos visto o Ministério da justiça de forma gradual a abraçar a tecnologia e a inovação.

O termo lawtech combina law (lei e jurisprudência) com technology (tecnologia) – são empresas inovadoras que investem em tecnologia (startups) para solucionar algum problema ligado ao universo jurídico. Também existe o termo legaltech, que relaciona legal  (jurídico) com tecnologia ou seja são startups jurídicas que oferecem novas ideias, em forma de produto ou serviço, na busca para aperfeiçoar e resolver os principais problemas do mundo jurídico.

A principal premissa com estas empresas é de facilitar a rotina jurídica e oferecer soluções tecnológicas que garantam otimização do tempo do advogado ou departamento jurídico de empresas. As startups do ramo exploram e identificam as deficiências do meio jurídico ou até mesmo de simples atividades diárias a fim de oferecer maior eficiência e produtividade.

No mercado angolano surge então a Kimpovi, como uma startup tecnológica para resolver com base nos pressupostos levantos supra os problemas enfrentados pelos profissionais e instituições do ramo jurídico.

Assim, a Kimpovi é uma Law ou legaltech porque é uma empresa de base tecnológica e voltada apenas para de forma inovadora solucionar os problemas com jurídico.

Artigos Relacionados

Respostas

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *